Quem sou eu

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

COMIDA DE BOTECO,UMA PAIXÃO PAULISTANA

Nem só de pratos feitos ou de restaurantes vive a gastronomia paulistana. A comida de boteco é uma marca registrada da cidade, que tem até concurso anual para eleger as melhores especialidades, o melhor garçom, a melhor forma de servir cerveja dos bares de São Paulo, exatamente como acontece em Belo Horizonte (Comida di Buteco) e em Curitiba. Durante 30 dias, os botequeiros elegem os melhores petiscos de uma lista de bares participantes. Apesar de ter sido criado para promover uma marca de cerveja, o festival de botecos paulistanos acabou se transformando numa tradição da cidade.
As especialidades botequeiras vão desde petiscos para acompanhar a cerveja num happy hour, caldos de feijão, peixe e mocotó, para depois da balada, até porções que valem por uma refeição, tamanha a quantidade de acompanhamentos. São comidas, simples, saborosas e baratas, que chegam rápido à mesa sem muita frescura. Das cozinhas dos botecos saem pratos como:
  • Atolado de Bode
    Reprodução/Mocotó
    Atolado de Bode, do Mocotó
    M
    alandragem carioca, do Lapinha (Lapa)- jiló recheado com carne seca e gratinado com molho de queijo
  • Atolado de Bode, do Mocotó Restaurante e Cachaçaria (Vila Mdeiros)- cabrito ensopado com mandioca, servido no mini tacho
  • Rabo escondido, do Bar da Vila (Vila Mariana) - rabada desfiada na cama de angu com queijo meia cura e gratinada com parmesão)
  • Disco voador dos cornos, do Bar dos Cornos (Jaguaré) - carne moída, vinagrete, queijo e azeitona)
  • Bolinho de camarão cremoso, do Veloso (Vila Mariana)
  • Asinhas do avesso na grelha, do Santa Clara (Lapa) - asinha de frango recheada com mandioca, bacon e gorgonzola e acompanhada de tomate cereja queijo coalho e calabresa
  • Cabritada, do Pirajá (PInheiros) - cabrito à passarinho
  • Bolinho de arroz com carne seca, do Canto Madalena (Vila Madalena) - redondos, recheados com carne seca
  • Picanha Mourato Coelho, do São Bento (Vila Madalena) - picanha fatiada, no rechaud, com farofa, vinagrete e pão fresco
  • Espetada de Shiitake e bolinho de arroz, do Filial (Vila Madalena)- espeto de cogumelo shiitake e bolinhos de arroz cremosos
  • Bolinho de bacalhau, do Bar do Léo (Santa Efigênia)- crocante, sequinho e cremoso
  • Joelho de porco, do Bar do Alemão (Parque Antártica) - joelho de porco defumado, cozinho, servido com chucrute, bratwurst e batatas cozidas
  • Bauru, do Ponto Chic (Paraíso) - rosbife caseiro com queijo branco derretido, no pão francês
  • Sanduíche de Pernil, do Bar do Estadão (Consolação) - generosa porção de pernil acebolado no pão francês crocante
  • Sanduíche de mortadela, do Bar do Hocca (Mercado Municipal) - 250 gramas de mortadela, acebolada ou não, no pão francês
A lista das delícias é praticamente infinita, e a cada ano os donos dos botecos acrescentam mais uma especialidade ao cardápio. Vale a pena circular pelos bares da Vila Madalena, da Vila Mariana, do Centro e da Lapa. Alguns bairros mais afastados também escondem pérolas botequeiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário